05/10/2017

A força da tradição e da cultura popular na primeira noite da Festa das Colheitas


A edição de 2017 da Festa das Colheitas de Vila Verde já começou e a primeira noite, 04 de outubro, deixou boas perspetivas para o resto do evento (que se prolonga até ao próximo domingo, 08 de outubro), numa demonstração clara da força da tradição e da cultura popular da região minhota. Ao final da tarde, as cozinhas começaram a carburar e a espalhar pelo recinto a fragrância irresistível das iguarias minhotas preparadas pelas tasquinhas e restaurantes no recinto. A gastronomia fez as delícias de milhares de visitantes e ajudou a acumular energias para um serão bastante animado.

Magusto Típico e música popular
A sobremesa foi por conta da organização. Pouco passava das 21h00, quando as labaredas começaram a romper a escuridão da noite com tons vibrantes de amarelo e vermelho. Era altura do magusto típico, com as castanhas colocadas diretamente sobre o lume no chão da eira improvisada. Em redor, miúdos e graúdos, homens e mulheres, crianças e idosos, juntavam-se em torno do calor da fogueira, aguardando ansiosamente pelo petisco. As castanhas assadas foram depois generosamente partilhadas com todos os presentes, acompanhadas por um bom vinho regional. Um momento de convívio e partilha, de gargalhadas contagiantes e longas conversas, que fez a sede de concelho reviver a tradição do mundo rural. Nota de destaque também para as rusgas populares, que espalham um rasto de alegria e boa disposição à sua passagem.
A noite terminou com um espetáculo de música ao vivo, protagonizado por um dos maiores nomes da música popular da nossa região. Jorge Loureiro não deixou créditos por mãos alheias e arrastou um autêntico mar de gente à Festa das Colheitas / XXVI Feira Mostra de Produtos Regionais. O músico subiu ao palco acompanhado por um talentoso grupo de artistas para colocar o recinto a cantar e a dançar ao som das canções alegres e divertidas do cantor minhoto, que conquistou uma forte reputação no panorama regional da música.
A tradição tem o futuro assegurado
Recorde-se que, ao início da tarde, a tenda de conferências do recinto recebeu mais de duas centenas de alunos, professores e pais da Escola Monsenhor Elísio Araújo. A 3ª Feira Mostra de Artes e Ofícios levou os mais pequenos a recriarem muitas das tradições da nossa região numa iniciativa lúdico-pedagógica. A feirinha tradicional, a desfolhada do milho, os bordados, os trajes de época, tudo como manda a tradição, num “momento de grande valorização do nosso património cultural”, como sublinhou o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela. Os mais novos mostraram grande interesse nas atividades e é caso para dizer que a tradição local tem o futuro assegurado.
Mais de 500 tocadores de cavaquinho

Hoje, 05 de outubro, o maior destaque da programação vai para o Encontro Nacional de Cavaquinhos, entre as 10h00 e as 20h00, que traz à Festa das Colheitas mais de 500 artistas, vindos de vários pontos do país. Durante o dia, os interessados podem ainda visitar a exposição e oficina de instrumentos de cordas. Ao serão, destaque para a recriação fiel de uma tradicional desfolhada do linho e para a Grande Noite da Desgarrada, que traz à Festa das Colheitas um leque diversificado dos mais conhecidos cantadores e tocadores de toda a região. Um hino à música popular do Minho que promete espalhar pelo recinto uma onda de animação e diversão contagiante!  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Na Rota das Colheitas 2016. Obrigada pelo seu comentário.

Na Rota das Colheitas 2017