29/11/2017

Lage encerra Rota das Colheitas com recriação da matança da seba e rojoada a favor de causa solidária!


A freguesia da Lage tem, este ano, a seu cargo o encerramento da programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que durante quatro meses se desdobrou em 35 iniciativas de promoção e divulgação da genuína tradição do Minho. No próximo fim de semana, 01 e 02 de dezembro, a freguesia leva os participantes numa viagem ao tempo dos nossos avós com a recriação da matança da seba. Uma prática agrícola fundamental para a subsistência das famílias minhotas, que unia a vizinhança inteira em torno do animal que garantia o aprovisionamento dos mantimentos necessários para enfrentar o rigor do ‘general inverno’. A maior novidade deste ano é que as restantes atividades, a Caminhada (com aula de Zumba) e a Rojoada, revertem para uma causa solidária.

Ao contrário do que tem sido habitual, a participação na Rojoada terá um custo de dez euros por pessoa, que revertem a favor de uma idosa da freguesia. A receita angariada será utilizada para aquisição de equipamentos técnicos que lhe permitam uma vida mais digna e confortável. Haverá ainda uma atividade em estreia, com cariz desportivo e solidário, que arranca ao início da manhã de sexta-feira, 01 de dezembro. A Caminhada Solidária, com aula de Zumba incluída, começa pelas 09h00, vai levar os participantes ao encontro da beleza natural do região e dos ritmos quentes da Zumba, enquanto contribuem para uma causa solidária.

Lugar de Bouçós recebe a matança da seba
Da parte da tarde, a partir das 16h00, o Lugar de Bouçós recebe uma iniciativa em que tradição e modernidade caminham lado a lado. Ao contrário do que sucedia na prática centenária, agora o animal morre sem sofrimento, após receber uma descarga elétrica que o atordoa e adormece, cumprindo de forma escrupulosa a legislação em vigor. A veterinária municipal também marca presença no evento para assegurar todas as diligências necessárias para cumprir as condições higieno-sanitárias exigidas pela lei. O resto é tudo à moda antiga, como manda a boa tradição minhota.
À medida que o sol vai descendo no horizonte e a temperatura começa a arrefecer, ficam reunidas as condições para cumprir a tradição. A palha a arder é utilizada para a queima do pelo e para fazer a cora da pele. Depois, é altura do desmanche do animal que outrora alimentava uma família inteira durante grande parte do inverno. No final, tempo para confraternizar e degustar as tradicionais sopas de burro cansado.

Gastronomia, confraternização e solidariedade

O serão de sábado (02 de dezembro) traz consigo a rojoada, um banquete que junta todos os anos dezenas de pessoas num convívio alegre e animado. Família e amigos sentados em torno de uma mesa vasta, a partilhar histórias e memórias, enquanto degustam uma das mais célebres iguarias minhotas. A iniciativa pretende fomentar a confraternização, reforçar laços na comunidade e implementar uma dinâmica especial na freguesia, além de contribuir para uma causa solidária. O jantar vai decorrer nas instalações da Junta de Freguesia da Lage, entidade organizadora do evento, e os rojões começam a ser servidos pelas 20h00.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Na Rota das Colheitas 2016. Obrigada pelo seu comentário.

Na Rota das Colheitas 2017